Acidentes Domésticos comuns na infância

09/07/2007
dRa. Rute nunes

Os acidentes e as lesões decorrentes de violência vêm se constituindo, cada vez mais, em um grande problema de saúde pública no mundo inteiro. Eles figuram dentre as dez principais causas de atendimento médico nas emergências e podem ocasionar sérios danos ao organismo, podendo levar a lesões incapacitantes, comprometendo o crescimento e desenvolvimento da criança, ou até mesmo à morte.
A própria definição da palavra “acidente” traz em si uma conotação de fatalidade, acaso, inesperado. No entanto, os acidentes, na sua essência, são ocorrências evitáveis que podem e devem ser prevenidas.
O domicílio é o ambiente no qual a criança passa a maior parte do seu tempo, notadamente até os 5 anos de idade. Nessa fase, pelas próprias características do desenvolvimento (atividade motora intensa – corre, pula, manuseia objetos com curiosidade, etc.), estão mais propensas ao risco de acidentes, especialmente às crianças menores de 1 ano de idade, que são totalmente dependentes de seus pais ou responsáveis, e necessitam de vigilância e proteção em tempo integral. Cabe a esses, portanto, a tarefa de examinar o ambiente no qual a criança vive, detectanto e eliminando a maior parte dos fatores de risco, buscando a proteção dos menores.
O quadro apresentado abaixo, adaptado do Manual de Segurança da Criança e do Adolescente, da Sociedade Brasileira de Pediatria, ilustra os principais tipos de acidentes na infância de acordo com a etapa do seu desenvolvimento e a forma de previní-los.


Tipos de acidentes:
Engasgo, sufocação, podendo levar à asfixia
Queimaduras
Afogamentos
Quedas (cama, colo, trocador)
Intoxicações por medicamentos

Prevenção:
Não alimentar a criança deitada ou dormindo.
Não usar talco.
Verificar a temperatura da água antes do banho e durante este
Segurar a criança com firmeza. Nunca deixar sozinha na banheira
O berço deve estar ajustado na altura adequada e ter protetores
que impeçam a passagem
Só usar medicamentos com orientação médica

Tipos de acidentes:
Queimaduras (fogão)
Engolir objetos, podendo aspirá-los.
Choque elétrico (tomadas)
Afogamento (piscina, balde)
Intoxicações
Traumas em geral

Prevenção:
Manter fora do alcance objetos pequenos que possam ser engolidos (partes de brinquedos) ou cortantes (tesoura, faca) que possam ferir, medicamentos e produtos de limpeza, etc.
Proteger tomadas e piscinas.

Tipos de acidentes:
As mesmas anteriores, quedas de lugares altos,
Picadas e mordeduras

Prevenção:
Supervisão permanente, ininterrupta
Proteção de escadas
Grades ou redes de proteção nas janelas
Usar as bocas de trás do fogão e das panelas com cabos voltados para trás
Banhos de piscina sempre com acompanhamento de um adulto e uso de bóias
Nunca deixar ferro de passar roupa ao alcance das crianças
Cuidado com quintal e jardins (abelha, escorpiões, cobras, etc.)


Tipos de acidentes:
As mesmas anteriores, quedas de lugares altos (lajes), patins e bicicletas
Agressões entre crianças

Prevenção:

Nunca permitir que circule em lajes;
O piso não deve ser liso ou escorregadio;
Uso de equipamentos de proteção ao praticar esportes;
Aspectos educativos: estimular o cuidado consigo e com os outros, etc;
Lembre-se sempre: nada substitui a vigilância responsável!

O que fazer na ocorrência de alguns acidentes comuns:

Quedas

Tipo de acidente mais comuns na infância. Se a queda acarretou perda dos sentidos ou vômitos repetidos, procure assistência médica imediata. Havendo ferimentos, lave o local com água e sabão e comprima firmemente em caso de sangramento. Observe edema (inchaço), dificuldade para andar ou mexer os membros, choro freqüente, que podem sinalizar para a ocorrência de fraturas.

Queimaduras
Se for de pouca extensão, resfrie o local com água fria imediatamente. Seque com pano limpo ou gaze. Não use manteiga, pasta dental ou outro produto sobre o local. Não fure as bolhas. Em caso de queimaduras extensas ou profundas, acione ou procure imediatamente atendimento médico.

Intoxicações
A depender do produto ou medicamento, as reações podem variar muito, assim como as medidas a serem tomadas. Sempre contacte com o serviço de emergência a fim de que orientações apropriadas sejam fornecidas. Informe o produto e, de preferência, tenha a sua embalagem ou rótulo.

Ingestão de objetos
Procure o serviço de emergência para adequada, investigação e tratamento. Caso a criança esteja engasgada, acione o serviço móvel de emergência, enquanto você começa a prestar socorro, segundo a orientação abaixo:
Segure-a por trás, pela cintura, suspendendo-a no ar, de forma que o tronco, os braços e a cabeça fiquem curvados para baixo. Com uma das mãos, mantenha-a nessa posição. Coloque a outra mão no abdômen, acima do umbigo, e aperte firmemente até que o corpo estranho seja expelido pela boca.
Tratando-se de bebês, segure-o inclinado, com a cabeça mais baixa, de bruços e com a barriga encostando no seu braço. Dê três tapas entre as escápulas (ossos das costas). A seguir, passe a criança para o outro braço, de forma que suas costas fiquem apoiadas no seu antebraço. Realize 3 compressões entre os mamilos da criança, repetindo até a saída do objeto.

Copyright © 1997 - 2007 A TARDE On Line . Internet.com.Informação .