Cuidados com fraturas

09/07/2007
rai trindade

Quem é que nos bons tempos da escola não achava divertido testar a popularidade com aquelas inúmeras assinaturas no gesso por conta de uma fratura? Ou aproveitou as regalias às quais esse tipo de enfermo tem direito? Mas como tudo na vida, sofrer uma fratura também tem seu lado ruim: quando a dor e as coceiras começam fica difícil reencontrar o lado divertido da situação!
“Caiu? Bateu? Machucou?.” Os leitores com mais de 20 anos por certo lembram a campanha daquela pomadinha quase milagrosa. Praticamente elemento indispensável nas sacolas de primeiros-socorros dos atletas de finais de semana, o tal remédio tem suas limitações. Em caso de fratura, não há pomada que chegue! A quebra, total ou parcial, pode ser causada por uma pancada muito violenta, queda ou esmagamento do osso. Esse tipo de lesão está dividido em:

Não existe o rompimento da pele, apesar do choque. O osso continua no corpo e a pele se mantém intacta.
O que fazer:
a)A fratura deve ser imobilizada com o uso de talas, dependendo das circunstâncias e do alinhamento do osso;
b)Deve-se também deixar imóvel a articulação acima e abaixo da fratura para evitar qualquer movimento do local atingido;
c)Observar se a tala ficou muito apertada;
d)Checar a pulsação e a sensibilidade;
e)Manter o acidentado aquecido e em posição cômoda, quando possível.

Quando o osso fere e atravessa a pele. Por conta desse rompimento, as fraturas expostas exigem cuidados especiais. É seguido de hemorragia externa, além do alto risco de infecção.
O que fazer:
a)Jamais tentar colocar o osso novamente. O recomendado, para esses casos, é cobrir o local com gaze esterilizada ou pano limpo;
b)Se os ossos estiverem ainda alinhados, imobilizar com tala comum. Quando não, a tala inflável deve ser empregada, estancando a hemorragia, prevenindo assim a contaminação do ferimento;
c)Quando não for possível realinhar a fratura, deve-se imobilizá-la na posição em que estiver;
d)Verificar a pulsação e a sensibilidade. Nos casos em que há ausência de pulso e/ou sensibilidade, levar a vítima até o hospital mais próximo;
e)Remover a vítima em maca;
f)Conduzir o ferido para o hospital.


A dor intensa, aguda e localizada pode ser a principal identificação da fratura.Tentar movimentar o lugar da lesão só vai piorar o quadro. Fique atento para outros sintomas:
  •Além da dor, nota-se grande sensibilidade do osso ou da articulação;
  •Dificuldade ao tentar movimentar a parte comprometida; O paciente também tem a sensação de adormecimento ou formigamento da região;
  •É comum também a deformação do membro machucado após o inchaço e a pele arroxeada. O inchaço ou a deformação acontecem porque as chamadas seções ósseas se movimentaram, acumulando sangue ou plasma na região atingida. Comparar o membro lesionado com o sadio é uma técnica simples e eficiente de confirmar a deformação.


Copyright © 1997 - 2007 A TARDE On Line . Internet.com.Informação .